07.11.2019

Rodrigo Carvalho, redator da Blue

Quanto tempo de intercâmbio é suficiente para aprender inglês?

Esse é o tipo de pergunta que nós adoraríamos responder com uma “fórmula mágica” para turbinar o seu aprendizado. Como isso, infelizmente, ainda não existe, o post de hoje traz informações importantes para te ajudar a encontrar uma resposta.

Segundo o poliglota Steve Kauffman, o processo de aprendizagem de uma língua depende, principalmente, de três fatores:  

- ter uma atitude positiva (e ativa) em relação ao idioma.

- aumentar o nosso tempo de exposição à língua-alvo.

- aprofundar, diariamente, o nosso grau de imersão.

Com isso em mente, vamos a alguns fatos relevantes e animadores:

- o inglês está entre as 4 línguas com menor grau de dificuldade para brasileiros, ficando atrás apenas do espanhol, italiano e francês, nossas línguas-irmãs de origem latina;

-  de acordo com o Cambridge English Support Site, são necessárias de cerca de 350 a 400 horas guiadas de estudo para atingirmos o nível B1 de proficiência. 

OBS 1: O nível B1 é considerado um estágio de fluência básica, no qual o falante já é capaz de comunicar-se com certa independência com falantes nativos e possui as habilidades práticas do idioma para sua aplicação no dia-a-dia, como por exemplo, manter um diálogo por telefone, obter informações básicas sobre uma viagem e trocar opiniões com colegas de classe ou trabalho, pessoalmente ou por e-mail]

OBS 2: Horas guiadas de estudo são as horas dedicadas ao aprendizado de uma língua sob supervisão de um professor, curso ou método de ensino. Mas isso não significa que você precisa sentar em uma cadeira e ficar de frente para os livros por 400 horas.

Resumindo: se, além dos livros, você conseguir utilizar o inglês no cotidiano por, pelo menos, 10 horas por dia (não se assuste, vou te mostrar o caminho no final desse post), é possível atingir um nível satisfatório de inglês em 1 mês.

Então, qual a duração ideal para aprender inglês no meu intercâmbio?




Tudo depende do seu grau de envolvimento com o idioma.

Lembre-se: o primeiro passo é assumir uma postura positiva em relação ao inglês. Nada de criar barreiras invisíveis ou se deixar levar pela vergonha ou medo de cometer erros. Os erros fazem parte da caminhada e nos ajudam a lapidar cada vez mais o nosso vocabulário.
Dito isso, é hora de se jogar e praticar a cada oportunidade.

Um intercâmbio de 1 mês pode potencializar de maneira excepcional nossos resultados, justamente porque o tempo menor de exposição nos obriga a entrar em um processo maior de imersão. É a oportunidade de viver intensamente o idioma, a cultura, os hábitos e as artes como se não houvesse amanhã.

Já em um intercâmbio de 6 meses (ou mais), além de oportunidades constantes de imersão, ganhamos um maior tempo de exposição ao idioma para absorver palavras, expressões e padrões linguísticos de um falante nativo, o que aumenta consideravelmente nosso grau de independência no inglês. 
O fato é que, seja intensiva ou gradual, é a imersão uma das maiores responsáveis pela velocidade do aprendizado. 

'Practice makes perfect'




Mergulhar na língua inglesa vai além dos temas previsíveis dos livros didáticos. É claro que a escola é extremamente importante para conhecermos a estrutura da língua, mas é do lado de fora dela que o aprendizado se consolida. 

Em um intercâmbio (de qualquer duração), existe uma fonte inesgotável de input (entrada de informações). Notícias, podcasts, livros, placas de trânsito, caixas de cereais, rádio, TV, caixas eletrônicos, instruções, etiquetas de roupas, conversas com garçons, recepcionistas, funcionários de caixas, vendedores. É uma oportunidade de novo aprendizado a cada esquina.

Além disso, viver no exterior nos permite ter acesso a sotaques reais, expressões coloquiais, gírias e, muitas das vezes, pessoas que falam em velocidade impressionante. Com o tempo, aprendemos a imitá-las.
Dominar um idioma em um país estrangeiro é também uma questão de sobrevivência. Comprar comida, pagar contas, utilizar o transporte público, pedir informações, alugar um livro na biblioteca. São essas experiências do cotidiano que elevam o nosso inglês ao nível espontâneo que tanto sonhamos. 

Ao estudar no exterior, o nosso grau de fluência não é medido, apenas, por uma nota em um teste, mas pelos progressos do dia-a-dia. Seja quando um nativo nos responde uma pergunta quase que automaticamente, ao pagar a passagem de ônibus corretamente, ao rir de uma piada em inglês ou ao assinar um contrato com a sua nova operadora de celular. 
Pequenas vitórias são extremamente motivadoras e podem ser alcançadas em 1 mês ou 6 meses de intercâmbio. O mais importante é se entregar de corpo e alma à experiência, desbravar a cultura, fazer amizades e interagir o máximo possível com o mundo à nossa volta. 

E quando você menos esperar...

PLAFT! (essa é a minha onomatopeia de mágica) 

A whole new world will open before your eyes!

EI, VOLTA AQUI! Sabe aquele papo de estudar 10 horas por dia?

Como prometido, aqui vai uma sugestão de Plano de Estudos de 10 horas para ajudar na sua imersão no inglês durante seu intercâmbio. A dica vem, mais uma vez, do professor Steve Kaufmann, que fala, nada mais, nada menos que 20 idiomas. A propósito, você pode conhecer o canal dele aqui.

Então, vamos lá!

GUIA DE IMERSÃO PARA INTERCÂMBIO




De 8:00 às 12:00: Esse é o momento de se dedicar forte na escola. Foco nas aulas e atividades para melhorar todas as suas habilidades com o suporte de um professor competente e preparado para isso. 

De 12:00 às 2:00: Almoce, descanse e pratique exercícios enquanto ouve músicas em inglês.

De 02:00 às 03:00: Um “mal necessário”. Hora daquela revisão básica na gramática 

De 03: às 04:00: Escreva algo em inglês. Uma carta para um amigo, um poema, uma lista de compras, um sonho. Ou tudo isso junto.
4:00-às 5:00: Converse na rua com falantes nativos. Boa hora para pedir informação, puxar papo com o atendente da livraria, trocar uma ideia com o garçom ou distribuir currículos nas empresas.

5:00 às 7:00: Descanse, afinal, ninguém é de ferro. Nem o Tony Stark.
 
BÔNUS:

De 07:00 às 10:00: momento de relaxar. Veja um filme, saia com os amigos, falando inglês, sempre que possível.  

É claro que você não precisa seguir esse cronograma à risca todos os dias, mas quanto mais você conseguir colocá-lo em prática, mais resultados positivos você vai encontrar.
Agora só falta programar o seu intercâmbio com a Blue e viver essa experiência de perto. Nós vamos adorar conhecer a sua história e acompanhar a sua evolução.

VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR

  • 03.12.2019

    Rodrigo Carvalho, redator da Blue

    Empregos para quem está começando a aprender inglês na Irlanda

    Aqui no Blog da Blue, você já descobriu como preparar um bom currículo no estilo europeu e também aprendeu a redigir uma Cover Letter para encantar os recrutadores de emprego. C...

    LER MAIS
  • 03.12.2019

    Rodrigo Carvalho, redator da Blue

    TRABALHO NA IRLANDA: COMO REDIGIR UM CURRÍCULO NO ESTILO EUROPEU?

    Seu CV (Curriculum Vitae) e a Cover Letter são, geralmente, a primeira impressão que você deixa para uma empresa ou organização. Esforce-se para dar o seu melhor nesta etapa, afinal,...

    LER MAIS
  • 03.12.2019

    Rodrigo Carvalho, redator da Blue

    TRABALHO NA IRLANDA: COMO ESCREVER UMA COVER LETTER

    Para garantir um emprego durante o seu intercâmbio, você vai precisar se apresentar nas empresas irlandesas com dois documentos essenciais: o currículo e uma Cover Letter. Temos um p...

    LER MAIS

Solicite seu Orçamento

Vamos lá
QUAL(IS) O(S) PAÍS(ES) DESEJADO(S)?
FALE CONOSCO